Autor Tópico: Os Verdadeiros Fãs de Tolkien  (Lida 2879 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Smaug

  • Cacho
  • Padawan de Pasteleiro
  • ******
  • Mensagens: 2500
  • Avaliação de posts: +19/-4
  • Sexo: Masculino
    • Meu blog
Os Verdadeiros Fãs de Tolkien
« em: Janeiro 31, 2006, 01:09:24 »
Título: Os Verdadeiros Fãs de Tolkien
Autor: Demétrius “Smaug”
Postado originalmente: 28 de outubro de 2004
Produzido para: Sociedade do Pastel

Você conhecia ou já tinha ouvido falar da palavra “Tolkien” antes do filme “Sociedade do Anel”? Você conhecia esta magnífica obra do professor Ronald, que é repleta de magia, raças, línguas, cidades, paisagens, detalhes e principalmente recheada de uma narrativa que prende o leitor, cheia de emoção, antes da trilogia de Peter Jackson (PJ)? Se você respondeu que “sim”, então parabéns, você é um dos privilegiados que à tempos convive com um clássico da literatura mundial. E para você que respondeu “não”: não se preocupe, provavelmente você seja, entre milhares de outros fãs, da chamada geração “pós- trilogia do Anel”. Mas o que é isso?

A geração “pós – trilogia do Anel” ou “pós – PJ” é uma legião de fãs que surgiram com o sucesso da mega trilogia “O Senhor dos Anéis” do diretor neozelandês PJ num repente. Grande parte da euforia gerada nos cinemas foi momentânea: logo depois que os filmes saíram de cartaz, estes fãs sumiram. É claro que eles ainda podem sentir aquele gosto de rever o filme, mas será que eles realmente continuam sendo fãs ou apenas admiradores?

Também há aquele tipo de fã que levado pela mania dos brinquedinhos de filmes foi comprando tudo o que via pela frente: desde chaveiros a bonecos que falam. Destes, talvez menos da metade “sobreviveram” e continuam ainda hoje participando dos debates sobre Tolkien em comunidades na Internet e conversas numa roda de amigos; que juntos aos fãs antes dos filmes somam e resultam no que hoje é a verdadeira legião dos fãs; e também continuam com seus bonecos, mas como algo especial: aquilo ainda vale para ele, ao contrário dos fãs passageiros.

Além dos fãs do tipo “euforia momentânea” e “fãs que resistem após a euforia” ainda tem aqueles fãs que estudavam Tolkien normalmente, passaram pela euforia dos filmes, resistiram à ela e hoje voltam aos estudos: que antes foi conturbado de informações ao estilo PJ. Estes, como falei no início do texto são os privilegiados de conviverem com o clássico momento à momento.

Outros casos de “tipos de fãs” é aquele que conhecia Tolkien muito antes dos filmes, talvez décadas, com o tempo foi “esquecendo” da obra, mas, quando a trilogia apareceu nos cinemas ele se lembrou. Com certeza deve ser muito emocionante pare estes que não se lembravam mais de Tolkien revê-lo em uma adaptação tão majestosa.

A evolução pelo interesse pelas obras do autor inglês nunca esteve tão em alta como agora, e isso deve-se bastante aos filmes. Mas a influência dos filmes foi tão rápida e forte que gerou muitos pontos negativos para com as obras literárias do autor, assim como gerou pontos positivos. Sabemos que isso ocorre em qualquer meio, por isso filmes e livros de Tolkien não são exceção.

Pontos Negativos:

Para citar um ponto negativo já de início: a interpretação. Há fãs puristas, pelo lado dos livros, que odeiam certas partes que PJ adaptou erroneamente. Muitos questionamentos e críticas vieram, como “Haldir em Helm ?!”, “Faramir Maldoso”, “Frodo aparentemente mais vulnerável às tentações do Anel”, “O simples Legolas do livro ganha ênfase e é delírio das mulheres”, “Gimli, o Palhaço”, “Arwen, a coitada”, “Olho – Farol de Sauron” entre outros fatores.

Sim, estes são pontos que os fãs que apreciam puramente a boa leitura dos livros contestam: como fica a interpretação induzida por PJ quando uma pessoa lê a trilogia ? Pontos estes acabam por confundir o leitor, dúvidas freqüentes surgem, perguntando isso e aquilo.Como fazer uma pessoa acostumada com um Frodo mais inseguro do filme se acostumar com uma nova idéia, para ela, de um Frodo um tanto mais adulto, um hobbit corajoso, que é leal com Samwise ? A explicação é que um verdadeiro fã de Tolkien, assim como um verdadeiro fã de algo, sabe apreciar um bom livro e um bom filme e saber diferencia-los. Está certo, mas até os verdadeiros fãs de Tolkien um dia foram inexperientes e um tanto inseguros quanto isso, assim falando-se dos fãs pós – trilogia do Anel.

Iniciação nas obras de Tolkien:

Como iniciar um fã de Tolkien que o conheceu através dos filmes para o real mundo de Arda, que situa-se na imaginação ? Primeiramente ele precisa deixar de lado os filmes. Ler é essencial: sejam livros, textos ou cartas; enfim, aprofundar-se na leitura é a maneira de entender mais fácil. Antes de filmes, um bom texto narrativo é memorizado no cérebro e num dia ele poderá vir a usar.

A segunda lição para “livrar-se” da influência dos filmes é colocar as mãos em obra: discutir, pesquisar, compreender, filosofar e explorar cada coisa sobre Tolkien que seja relevante de início é fundamental. Não que os filmes sejam coisas ruins, ao contrário, é até uma maneira a mais para conhecer sobre algo: variedades de opções de um assunto é muito bom. Lendo ‘O Hobbit’, o leitor iniciante admira-se pela beleza dos detalhes narrativos e descritivos dos cenários, personagens e lugares. Passando por uma breve aventura com Smaug, Bilbo, Gandalf e Thorin & Cia, aí sim ele estará pronto para enfrentar as complexas aventuras e grandes obras de Tolkien.

Agora que ele já viu ‘O Senhor dos Anéis’ no cinema, é hora de decodificar as palavras e computá-las na memória: chegou o momento de ler a mais famosa obra do professor. Afinal de contas, a saga do Anel é admirada pela grande maioria como a aventura mais linda em vários sentidos de todas obras de Tolkien. O leitor irá aprender muito com isso, mas durante a leitura ele encontrará vários nomes e citações de lugares que ali não são narrados. O que fazer ? Partir para o próximo livro.

‘O Silmarillion’ completará muitas peças para o quebra – cabeça de Arda ficar pronto. O admirador não é mais apenas isso, ele já é um fã, um verdadeiro fã. Passando pela criação de Arda por Eru, o primeiro Senhor do Escuro, pelas Silmarili, por Fëanor, por Turin e entre outros, finalmente ele já pode ser considerado um fã que é fã: estes três livros são fundamentais para a iniciação de Arda.

Aí então para ele saber mais, poderá ler o livro que reúne inúmeras anotações do Professor, embora não totalmente completas, o “Contos Inacabados”. “HoMe” ou “Histórias da Terra Média” é outro material, que embora não reunido em livro aqui no Brasil, constitui-se de detalhes importantes, encontrando-se disponível em grande parte em sites de Tolkien. Além de Cartas do professor, na qual ele responde ás dúvidas dos leitores da época, que na qual foram importantes para os entendimentos e aprimoramentos das obras num contexto geral.

Os Pontos Positivos:

Ora, mas o filme não é só aquela ‘coisa’ influenciadora negativamente quando alguém procura a fonte de inspiração, no caso o Livro para os Filmes. Ele também traz boas novas: sem ele, muitos fãs que atualmente discutem Tolkien e que “vieram para ficar”, digamos assim, não completariam as listas e fóruns que hoje existem na Internet. É muito bom saber que a produção de PJ deu certo, seja nos mais variados aspectos: nos efeitos sonoros, digitais e visuais; no elenco; nos cenários; no figurino; no roteiro; enfim, cada coisa colocada em união resultou num produto final muito bem apreciado.

Muitos fãs acabaram por conhecer o lado lingüístico de Tolkien, como as línguas de Quenya, Sindarin e outras menos desenvolvidas, devido as falas dos personagens, bem como a conversa de Arwen e Aragorn em Valfenda, entre outras conversas ou lamentos no estilo élfico; e isso é muito legal, pois mais do que conhecer uma mitologia, os fãs passaram a ver muito mais além do que estas podem proporcionar: conheceu o lado filólogo de Tolkien.

Também temos o exemplo de ilustrações: quem antes gostava de ilustrações mitológicas de cavalos, seres diabólicos, paisagens deslumbrantes, pode conhecer isso e mais, muito mais, através dos ilustradores profissionais das obras de Tolkien: Ted Nasmith, John Howe, Alan Lee, e demais. Sem deixar de lado o próprio Tolkien. São raros os autores que possuem uma genialidade tão bela neste lado. A capacidade de ilustrar suas próprias cenas narradas em traços coloridos é magnífico: não há como ter uma visão de como realmente é as paisagens descritas pelo autor se não ele mesmo ilustrando. Certamente alguns fãs podem admirar os desenhos de outros, mas o que importa, é que acima de tudo, ele viu a mitologia transportada em imagens diferente de tudo o que antes conhecia.

Sabemos que o filme é restrito, não proporciona uma viajem ao imaginário de diferentes formas: o que esta ali é a adaptação de uma equipe, podendo ser diferente do que os fãs antes dos filmes imaginavam. Por isso, a leitura do livro, é muito mais empolgante, com este o leitor imagina e viaja do seu jeito. Conhecendo muito mais que as ilustrações e línguas, este novo fã também passou a apreciar um mundo novo, assim, descobriu tudo o que um mundo inventado pode constituir, desde que seja altamente bem construído. E, o mundo de Tolkien, a Arda, foi realmente bem construído, proporcionando uma deliciosa aventura.

Raças, povos, cidades, costumes, regiões, rios, lagos, florestas, montanhas, dentre outras coisas foram garimpadas pelo leitor. Hobbits, um tipo de raça que antes nunca havia sido apresentada em histórias de ficção, surgiu de um impulso, e tornou-se algo concreto. Ganhou forma, vida, beleza, até recebeu um espaço em histórias, ás vezes tornando-se o centro da narração. É mais um exemplo que o fã de Tolkien teve o prazer de ter exclusividade, onde mais ele encontraria os hobbits se não fosse através dos filmes ou livros?
« Última modificação: Março 02, 2009, 11:06:00 por Smaug »
Papai Noel e Coelho da Páscoa em Arda? Só no jornal mais louco de Arda: Correio Ardense, aqui na SdP!

Offline Derinthuck

  • Azeitona
  • *
  • Mensagens: 2
  • Avaliação de posts: +2/-0
  • Sexo: Feminino
  • Penetra Ousada
Re: Os Verdadeiros Fãs de Tolkien
« Responder #1 em: Maio 04, 2011, 12:22:32 »
Gostei bastante do seu texto, engraçado que logo ele ficará atual outra vez, vêm aí mais dois filmes, de novo aquele tremendo furor, aquela popularização que dura um tempo, agita-se tudo, e após três anos passa como um tsunami deixando um cenário diferente no lugar.

Já conhecia os livros antes dos filmes, e foi estranho viver aquela onda pela primeira vez. Havia uma comunidade forte ‘esperando’, e de repente havia fãs novos que só falavam em asas de balrog  :wall:, na beleza do Orlando Bloom, ou coisas legais, porém mais superficiais do que antes. Muitos eram legais, muitos ficaram, a comunidade voltou a diminuir, condensar... E agora virá tudo outra vez em 2012-13, em uma comunidade maior, mais forte, meio cansada também. Fico imaginando, como será agora?

Lembro de um texto do Deriel de 2006 talvez, em que ele tratava da ‘vida após os filmes’. Ela existiu mesmo, estamos todos aí para provar. Okay, nem todos... Lembro de sites e espaços legais que sumiram no ar, a febre foi longa, mas para alguns foi só febre... E agora estamos novamente prestes a ser bombardeados por uma onda transmidiática. Pois é, quando começar a reta final de produção, vai ser aquele monte de quadrinhos, revista, mc donalds, brinquedo, rádio e o diabo a quatro de novo.

Como serão tratados esses fãs ‘novos’ dessa vez?  
E outros tipos (por que a geração é diferente, e muda o perfil deles...). Como serão recebidos? Gostei da parte do texto sobre ‘iniciação’, mas o fato é que não é uma iniciação.

Eles já vem com uma ‘idealização’ dos filmes, um pensamento menos ‘purista’, que não é ignorável. Então o fã mais velho não pode pensar em ‘iniciar’ o outro (não gosto dessa palavra!), mas dar essa continuidade que você comentou de se embrenhar na  lingüística e tals.... Vejo pelo MUD, 80% de quem chega não conhece os livros, nem os filmes até!  Não existe nada falado direto, mas rola uma ‘educação’ sutil, no estilo: leia caramba!

Como pode ser essa nova onda, não sei... Vou gostar de ver! Mas dessa vez, vou tratar de comprar TODOS os bonequinhos, brinquedinhos, e figures que puder. Vou aproveitar melhor a segunda chance...

E vocês?

Sei lá, elucubrações malucas no meu primeiro post! Curto muito essas coisas da vida-social-virtual  :love:  :grinlove:
« Última modificação: Maio 04, 2011, 12:31:54 por Derinthuck »
Mud Valinor: Ou você encontrará a aventura... Ou a aventura encontrará você.

Offline Alassë

  • Administrador
  • ******
  • Mensagens: 3461
  • Avaliação de posts: +44/-16
  • Sexo: Feminino
  • Imagine
Re: Os Verdadeiros Fãs de Tolkien
« Responder #2 em: Maio 04, 2011, 03:59:03 »
Eu sou fã purista. Conheci o livro pouco antes de saber que iria sair o filme - ainda que ele já estivesse às portas dos cinemas (isso foi outubro/2001). Não tenho nada imediatamente contra os fãs-do-filme, mas tenho tudo contra aquele povinho que vinha querer discutir detalhes da história que só conheciam na versão cinematográfica. E, sim, eu me irritava muito :dente:

Sempre fui super contra adaptarem O Hobbit pro cinema, e cada vez que a novela mexicana dava uma reviravolta, pondo barreiras na produção, eu sentia um alívio. Infelizmente, o trem saiu do papel e já está tomando vida na NZ. Não aguardo com nenhuma ansiedade os novos fãs, muito menos o filme, que acho que será decepcionante em termos de adaptação, talvez até mais que a trilogia.